terça-feira, 24 de abril de 2018

MUDANÇA PARA MELHOR, JÁ QUERO!

Por Ana Luiza Chaves

Mudança, quem não tem medo dela? Sempre temos resistência à mudança. Receio de não dar certo, de ser um fracasso, de criar expectativa demais, de ser criticado, dentre outros temores. Mas, a mudança quando pensada, está sempre buscando o melhor, e só vamos saber o resultado se ela for implementada.

É óbvio que antes deve ser feito um planejamento das ações, verificando os recursos e os instrumentos necessários, quais as pessoas estarão envolvidas durante o processo e, sobretudo, deve-se ter o apoio da instituição. Uma vez planejada, aplicada, checada e reparadas as arestas, tem tudo para dar certo. 

Muitas vezes fazemos a coisa do mesmo jeito que vem sendo feito há tempos, não pensamos em mudar o status quo, exatamente porque temos medo do novo, do desconhecido. Isso ocorre na vida como um todo, na esfera pessoal, profissional, em sociedade.

Fizemos essa introdução porque a nossa proposta é convidá-los a fazer algo para mudar o nosso fazer bibliotecário, buscando essa melhoria de produto e serviço para a sociedade, conforme o contexto de cada um. Há tantas oportunidades! O próprio usuário é um indicador delas. Sabendo fazer a leitura de suas demandas, de seus anseios, podemos ir além delas, conquistando esse espaço que nos falta, se apropriando do projeto e fazendo acontecer.

Estamos tentando mudar todo dia para oferecer algo mais atrativo e compensador. Vem coisa diferente pela frente!

E você, já pensou por onde começar?

Mudança para melhor, já quero!

______ 

#otextoénosso #mudança #fazerbibliotecário

sexta-feira, 13 de abril de 2018

"MURAL EM IMAGENS": E-BOOK COMEMORATIVO AO 5º ANIVERSÁRIO DO MURAL INTERATIVO DO BIBLIOTECÁRIO


O Mural Interativo do Bibliotecário fez 5 anos e ao completar o 5º aniversário, diante da vasta produção construída, percebemos a importância de compilar toda a produção imagética, reunindo em um novo e-book, para possibilitar o acesso de forma organizada, contextualizada, com vistas a leitura descompromissada ou à aplicabilidade de alguma ação de prática bibliotecária.



BAIXE O SEU!!


quinta-feira, 12 de abril de 2018

E O MURAL COMPLETOU 5 ANOS...

Em abril celebramos o 5ª aniversário do Mural Interativo do Bibliotecário. Para comemorar a data, elaboramos uma campanha sobre a vida do Mural nesses cinco anos e convidamos os nossos seguidores a participarem, respondendo à perguntas, por intermédio de pistas a respeito. 

Além da interação e da brincadeira, os participantes concorreram a um Kit com 5 itens da nossa loja virtual da T-Shirts MURAL, os quais representam os cinco anos de atividade.

Conheçam as perguntas e as ilustrações que representaram as pistas de cada uma, postadas no período de 23/03 a 11/04.


PERGUNTA 1 - Quando (dia/mês/ano) nasceu o MURAL?

PERGUNTA 2 - Em que cidade do Brasil nasceu o MURAL? 

PERGUNTA 3 - Quem foram os administradores do MURAL?

PERGUNTA 4 - Quem são atualmente os administradores do Mural? 

PERGUNTA 5 - Em quais mídias estamos presentes? 

PERGUNTA 6 - Das campanhas realizadas pelo MURAL, qual ou quais mais gostou de participar? 

PERGUNTA 7 - Qual é o infoproduto criado pelo MURAL?

PERGUNTA 8 - Qual (is) projetos realizados pelo MURAL você mais gostou?

PERGUNTA 9 - Cite o nome de uma série criada pelo MURAL?

PERGUNTA 10 - Desde quando você acompanha o MURAL?

PERGUNTA 11 - Você indicaria a página do MURAL para algum amigo(a)?

terça-feira, 10 de abril de 2018

“SAIA DA ZONA DE CONFORTO, AGORA!”

Por Fabíola Bezerra

É sabido que as pessoas são diferentes umas das outras, até entre irmãos que teoricamente recebem a mesma educação, cada um deles recebe e internaliza essa educação de uma maneira própria.

As diferenças se manifestam em diferentes esferas: na forma de pensar, de agir, de aprender, uns sabem usar a inteligência melhor do que outros, enfim…

Além das diferenças acima listadas, as pessoas também se diferenciam uma das outras por meio das suas crenças, sendo elas responsáveis por definir o tipo de #mindset* de cada um.

Segundo afirma a Dra. Carol S. Dweck, existem dois tipos de mindset: o mindset fixo e o de crescimento.

As pessoas de mindset fixo são movidas por crenças limitantes adquiridas geralmente na infância e presentes ao longo dos anos. As crenças sobre nós mesmos determinam nossos erros ou fracassos. Quantas vezes aconteceu de você derrubar ou quebrar qualquer coisa e imediatamente afirmar: “Eu sou desastrado!”. Quantas vezes deixamos de fazer algo porque antes de tentar, já afirmamos antecipadamente que não sabemos, ou que é difícil ou mesmo que é impossível de fazer? São esses condicionantes que impomos a nós mesmos que nos impedem de crescermos. As pessoas de mindset fixo acreditam que sua inteligência é limitada.

Ao inverso dessas limitações, o mindset de crescimento “se baseia na crença de que você é capaz de cultivar suas qualidades básicas por meio de seus próprios esforços”. A inteligência no mindset de crescimento é construída constantemente.

A importância de trabalhar o mindset é a possibilidade concreta de construir “novas trilhas neurais” possibilitando inclusive expandir qualquer habilidade. Ao estimular o nosso cérebro a se movimentar e a sair da zona de conforto, estimulamos também “células nervosas a estabelecerem novas ligações, formando novos neurónios que ao longo do tempo ficam mais acordados e ágeis”.

Acreditar na mudança é pensar com o mindset de crescimento, o contrário disso é um pressuposto do mindset fixo. Pensar a Biblioteconomia e o mercado de trabalho para bibliotecários nessa perspectiva de crescimento é deixar de vislumbrar um mercado em escassez. Mudar profissionalmente não é difícil, o mercado mudou e exige novos profissionais com novas posturas, diante de tantas mudanças, permanecer estagnado é que requer um grande esforço.

_________________


*Mindset: É a configuração da mente. É a maneira como você vê o mundo, é o seu modelo mental baseado nas suas crenças.

Fonte: DWECK, C.S. Mindset: a nova psicologia do sucesso. São Paulo: Objetiva, 2017. 309p.

terça-feira, 3 de abril de 2018

“ACREDITE NO QUE VOCÊ FAZ E ENSINE O QUE VOCÊ AMA”

Por Fabíola Bezerra

Essa poderia ser mais uma “frase de efeito”, porém, traz intrinsecamente um novo conceito, ou dito de outra forma, apresenta uma nova ordem das coisas para quem deseja empreender utilizando o mundo digital.

Você tem sonhos de empreender como bibliotecário, ou melhor dizendo: você deseja empreender a partir da Biblioteconomia?
Parece uma pergunta simples, mas, pensando nas variadas áreas de atuação para o bibliotecário a partir da Gestão da Informação, definitivamente não é uma pergunta fácil!

Vou refazer a questão acima de uma maneira diferente: O que você melhor sabe fazer como bibliotecário e gestor da informação? Qual ou quais são as suas habilidades profissionais? Aquela que você mais se identifica e poderia ter facilidades para repassar esse conhecimento?

Vamos pensar, você pode ter habilidades por meio das “tradicionais” áreas de atuação do bibliotecário, ou a partir das possibilidades advindas com as tecnologias de informação e comunicação, cito rapidamente algumas: gerenciamento de conteúdo, consultorias e elaboração de projetos, gestão de documentos eletrônicos ou simplesmente a elaboração de ficha catalográfica utilizando o formato MARC. Você profissionalmente possui muitas habilidades!

Pense, quais habilidades você possui e te motivam ser bibliotecário todos os dias? Quais habilidades te deixam produtivo e você acredita serem capazes de mudar a vida das pessoas, sempre que as necessidades de informação dessas mesmas pessoas são atendidas?

Pois é!

É exatamente nesse ponto (habilidade) que você deve FOCAR quando pensar em empreender. Por quê?

Para responder a esse questionamento, irei utilizar o título desse post: “Acredite no que você faz e ensine o que você ama”. Tudo o que você precisa para empreender já está dentro de você. Talvez você nunca tenha pensado o empreendedorismo nessa perspectiva, mas é uma situação real. Quando você empreende por propósitos você muda a sua vida e a vidas das pessoas a sua volta.

No primeiro momento não pense em dinheiro, pense em transformação. Transformar a vida das pessoas a partir das suas habilidades. Crie sua autoridade utilizando as redes sociais, agregue valor para as pessoas com informações de qualidade que você domina. Esse é o caminho mais seguro e inteligente para fazer uma transição de carreira com sucesso.

Como “empregado” você “vende” o seu tempo ao seu empregador. Você não é papo pelo que você sabe, mas pelo tempo que você trabalha. Usando o empreendedorismo com propósitos, além de você poder viver da sua profissão fazendo o que você ama, você começa a ser remunerado pelo que você sabe fazer bem. Nesse sentido, o processo de venda é uma transferência de sentimentos.

Acredite em você. Acredite na sua habilidade.

Bibliotecário, empreender transforma.

______



terça-feira, 27 de março de 2018

BIBLIOTECÁRIO: "SER OU NÃO SER, EIS A QUESTÃO"

Por Ana Luiza Chaves

No mês de março em que comemoramos o Dia do Bibliotecário, nada mais providencial para refletirmos sobre o nosso posicionamento profissional, usando a famosa frase:

Bibliotecário: "Ser ou não ser, eis a questão".

Isso porque temos vários posicionamentos provisórios ou em transição. Partindo do tipo positivamente mais extremo em relação à profissão em si, até ao mais negativo, podemos elencar:
  1. Aqueles que abraçaram a profissão e se identificaram com ela e, sendo assim, atuam efetivamente de forma satisfatória e compensatória;
  2. Aqueles que abraçaram a profissão e se identificaram com ela, mas, ao longo da trajetória não conseguiram retorno satisfatório e, mesmo assim, continuam na profissão, esperando um dia melhorar;
  3. Aqueles que abraçaram a profissão e se identificaram com ela, mas, ao longo da trajetória não conseguiram retorno satisfatório e, por isso, enveredaram para outra profissão, mas com algum vínculo com a Biblioteconomia;
  4. Aqueles que abraçaram a profissão e se identificaram com ela, mas, ao longo da trajetória não conseguiram retorno satisfatório e, por isso, enveredaram para outra profissão, sem ter a ver com a Biblioteconomia;
  5. Aqueles que abraçaram a profissão, mas, de pronto, não se identificaram com a Biblioteconomia, abandonando-a em detrimento a outra;
  6. Aqueles que de imediato não gostaram da profissão, partindo logo para um novo caminho.
Na famosa frase do monólogo de Hamlet, de William Shakespeare, o personagem enfrenta a situação dualística de decidir se será melhor aceitar a existência com a dor que reina (viver) ou se será melhor acabar com a vida (morrer). Ele tem na vida a certeza de ter que sofrer, mas na morte a incerteza, porque tem medo daquilo que possa existir além da morte, podendo passar por mais sofrimentos e punições em função da ação suicida.

Tomando a frase para fazer uma analogia, aplicando-a ao nosso contexto, viver seria continuar na profissão com todos os seus percalços e condições, sem interferir, e morrer seria desistir da profissão, carregando o fardo de ter se formado em Biblioteconomia e de não tomá-la para exercê-la. Mas, diferente de Hamlet, enquanto profissionais do século XXI, da era tecnológica, da era globalizada, da era da interdisciplinaridade, da era da mediação da informação e da gestão do conhecimento, temos uma terceira opção, muito mais inteligente, a de pensar além, a de intervir na situação, a de se posicionar e a de agir de forma empreendedora.

Bibliotecário, à exceção do tipo 1, qualquer que seja a sua situação enumerada acima, é hora de refletir, agir e se posicionar!

Se não está bom, é hora de mudar!

Nota: "Ser ou não ser, eis a questão", na língua inglesa: "To be or not to be, that is the question". Famosa e mundialmente conhecida frase, dita por Hamlet, durante o monólogo da primeira cena do terceiro ato na peça de mesmo nome, de William Shakespeare (escrita entre 1599 e 1601).

sexta-feira, 23 de março de 2018

CAMPANHA COMEMORATIVA DO 5ª ANIVERSÁRIO DO MURAL INTERATIVO DO BIBLIOTECÁRIO

Em abril celebramos o 5º aniversário do MURAL, participe da campanha e concorra a um Kit com 5 itens da nossa loja virtual da T-shirts MURAL


Fabíola explica sobre a campanha no vídeo, acesse clicando aqui.

terça-feira, 20 de março de 2018

ESCOLHA E OPORTUNIDADE

Por Ana Luiza Chaves

Escolha e oportunidade, a primeira requer tomada de decisão, já a segunda, visão para enxergá-la. Mas, ambas as ações exigem atitude da parte de quem está querendo entrar no mercado de trabalho ou melhorar seu posicionamento dentro dele.

Depois de escolhermos a profissão, optamos por um trabalho (quando há chance para isso) ou nos enquadramos em um segmento específico, que surgiu como oportunidade.

Portanto, primeiro escolha, depois oportunidade, mais adiante teremos novas oportunidades e aí, dentro destas, fazemos as escolhas. É um vai e vem de oportunidades e escolhas.

O importante é não ficar parado, pensar global e agir no particular. Foi o que aconteceu com o Mural. Primeiro, pensamos grande, entrar na mídia social, depois agimos naquilo que temos expertise, atuar com a Biblioteconomia.

Agora pensamos novamente grande, participar de um concurso em nível internacional, para mostrar algo específico, que dominamos, que sabemos realizar. Entramos no páreo do "Concurso Internacional de Experiências Bibliotecárias", do evento "Library Tour & Festival", de Bogotá, para o mundo.

Foi uma oportunidade que surgiu, que soubemos agarrar, não importa se vamos ganhar, o que vale é a participação, a visibilidade e, se não for desta vez, outras virão, quem sabe, por intermédio dessa ação. Sim, porque a rede é uma teia em que cada fio pode levar a vários caminhos e estes, por sua vez, abrem novos e assim por diante...

Estamos fazendo barulho, mostrando do que somos capazes. A Biblioteconomia precisa disso.

E você, já viu quais oportunidades estão a sua volta? Façam suas escolhas! Agarrem as oportunidades!

___________________

segunda-feira, 19 de março de 2018

CONCURSO INTERNACIONAL DE EXPERIÊNCIAS BIBLIOTECÁRIAS

Entre os dias 3, 4 e 5 de julho estará acontecendo em Bogotá o evento "Library Tour & Festival". 

Para esse evento foi criado o #ConcursoInternacionalDeExperiênciasBIibliotecárias para partilhar boas práticas biblioteconômicas. 


A equipe do Mural Interativo do Bibliotecário são os únicos brasileiros a estarem participando do concurso na categoria "Serviços inovadores". 

Solicitamos o apoio de todos

Entrem na plataforma do concurso no LINK ABAIXO. 

Lembramos que é necessário validar o voto.

VOTEM NO LINK ABAIXO:



Fabíola explica sobre o concurso no vídeo, acesse clicando aqui